Notícias
A obra do condomínio residencial Esquina Chartier, da MKS Empreendimentos, utiliza o sistema de silos e bombeamento a seco da FIDA

Sistema de silos: veja como a tecnologia FIDA foi aplicada no canteiro de obras da MKS Empreendimentos

Muito antes da etapa de vendas e locações, o sucesso dos empreendimentos imobiliários começa com o emprego de tecnologias modernas de construção, capazes de otimizar a produtividade e promover o uso racional dos recursos.

Para oferecer a máxima qualidade de materiais e desempenho às equipes da construção civil, a FIDA desenvolveu uma linha de argamassas industrializadas que podem ser fornecidas a granel e armazenadas em silos. Com capacidade de 20 toneladas, os silos são posicionados em pontos estratégicos do canteiro de obras, e facilitam o transporte da argamassa até a obra pelos sistemas de bombeamento úmido ou a seco.

As vantagens de adotar o sistema de silos – como o aumento da produtividade, a melhora na qualidade do serviço e a redução de resíduos e desperdício de material – foi atestada recentemente pela empresa MKS Empreendimentos, na construção do condomínio residencial Esquina Chartier. Em um rápido bate-papo com Rafael Kopper, sócio-diretor da empresa, esclarecemos as vantagens da aplicação do sistema no canteiro de obras, que você confere abaixo:

Como vocês conheceram o sistema de silos da FIDA? A MKS já tinha uma parceria com a empresa?

Rafael Kopper: Conhecemos o sistema de duas formas. Primeiro, víamos com frequência o silo FIDA nas obras por quais passávamos em Porto Alegre, mas sem saber direito como funcionava o sistema. Fomos convidados, então, para uma palestra no Sinduscon-RS, patrocinada pela FIDA, na qual descobrimos como o sistema operava, desde a maneira mais simples até a mais completa. Naquele momento, defini que seria o sistema a ser utilizado em nossa obra atual, pela facilidade de logística e estoque e a agilidade agregada a todo o processo.

Até então, nosso único contato com a FIDA tinha sido no empreendimento Casa América, no qual 100% do reboco externo foi feito com o Reboco Grosso FIDA. A construção foi realizada em 2014 e, desde lá, não apresentou nenhuma patologia.

Desde quando vocês vêm utilizando o sistema de silos? Optaram pelo sistema de bombeamento úmido ou a seco?

R: Utilizamos o sistema de silos por dois meses e meio em nosso atual empreendimento, o Esquina Chartier. Este é um empreendimento residencial de 18 apartamentos, com área total construída de 2.600 m². Fizemos o bombeamento com compressor a seco, via mangote, acoplado à argamassadeira que ficava no andar em que estávamos rebocando.

Foi a primeira vez que utilizamos o sistema de silos; adotamos o método depois de analisar todos os benefícios que nos traria, principalmente em relação à produtividade e à logística (pois não contamos com elevador de obra em nosso canteiro). E além disso, queríamos otimizar a quantidade de mão de obra (de serventes, especialmente).

A obra do condomínio residencial Esquina Chartier, da MKS Empreendimentos, utiliza o sistema de silos e bombeamento a seco da FIDA
Foto: Divulgação/MKS Empreendimentos

Quais os principais resultados obtidos? O que o equipamento melhorou na logística e no trabalho das equipes?

R: Diversas foram as vantagens obtidas. Tivemos a desobstrução do canteiro, já que não foi mais necessário um estoque permanente de cimento, areia e aditivos; a diminuição na quantidade de mão de obra para a produção da massa e transporte desta até o local de uso; e o aumento considerável na produtividade geral do reboco externo. Para se ter uma ideia, na nossa última obra, com menor área de reboco externo, levamos quatro meses para finalizar tudo – enquanto no Esquina Chartier, diminuímos esse tempo para apenas dois meses.

Outro benefício incomparável foi a homogeneidade do reboco, que ficou com uma estética uniforme, sem diferentes tons de cinza – o que nos garante que a precisão nos traços foi a mesma em toda superfície.

O que vocês destacariam do sistema de silos para empresas e profissionais interessados em adotá-lo?

R: Recomendamos que usem o sistema por completo, com bombeamento, pois o gasto com compressor compensa pela redução de pelo menos um ou dois funcionários, que ficariam responsáveis pelo transporte do material. Por mais que haja elevador, existirá esse fluxo de movimento do material até o local de produção – o que é eliminado quando a massa vai pelo mangote exatamente até o local onde o pedreiro se encontra.

Para empresas com pouco espaço no canteiro de obras, então, o sistema é indispensável, e faz com que se ganhe área de estoque, maior visibilidade e uma obra mais organizada.

Gostou de saber mais sobre a tecnologia FIDA para a construção civil?

Acesse nosso blog e acompanhe as últimas novidades da empresa, além de conteúdos úteis sobre dicas e tendências para o segmento. Até a próxima!