Notícias

Dia do Agricultor: 9 razões para celebrar a profissão

Em 28 de julho, comemora-se o Dia do Agricultor – profissional que se dedica diariamente a prover alimento e matéria-prima e mover a economia mundial.

A atividade tem suas raízes na Pré-História com a domesticação de espécies vegetais para o plantio e abastecimento da população, e seu surgimento mudou completamente os rumos da Humanidade. A data escolhida para celebrar a profissão no Brasil remonta ao século XIX, quando, em 28 de julho de 1860, o imperador Dom Pedro II instaurou a Secretaria de Estado dos Negócios da Agricultura – órgão que, mais tarde, originou o Ministério da Agricultura. Em 1960, o presidente Juscelino Kubitschek enfim oficializou a data como uma homenagem à classe agricultora, em comemoração aos 100 anos de fundação da pasta.

Após a grande crise que afetou o Brasil nos últimos anos, a agricultura desempenhou um papel importante na retomada da economia. Em 2017, de acordo com a Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), o agronegócio foi um dos principais responsáveis pela queda da inflação. Isso aconteceu devido à queda no preço dos alimentos para a população, contando com a boa safra do ano passado, além de altos investimentos em tecnologia. Com os bons resultados do setor, foi-se o tempo em que os os agricultores tinham um perfil definido: agora, o segmento atrai profissionais de várias profissões e faixas etárias, como advogados, empresários e médicos.

Confira abaixo alguns fatos que apontam o alcance e a importância dos agricultores e do seu setor para a população de todo o mundo:

1. Colocam comida na mesa de todos

É praticamente impossível que alguém passe um dia inteiro de vida sem ingerir algo plantado, cultivado e colhido por agricultores. Ainda que a base da alimentação de um local mude conforme a área geográfica e seus costumes, será sempre a agricultura a produzir grande parte dos alimentos consumidos no mundo todo.

2. Apoiam a pecuária

Outro ramo de produção que coloca comida na mesa da população é a pecuária, por meio da produção de carne, ovos e laticínios, entre outros produtos. Para que esta produção não pare ou se torne escassa, o agricultor provê itens como rações para manter a pecuária ativa e produtiva, colaborando com a alimentação de todos. O Brasil é atualmente o segundo maior produtor de soja do mundo – componente principal da ração do gado –, com produção estimada em quase 117 milhões de toneladas, de acordo com dados da Companhia Nacional de Abastecimento.

3. Produzem fontes de energia limpa

Busca-se há muitos anos opções além dos combustíveis fósseis para abastecer veículos automotores. Surgiram, então, os biocombustíveis, produtores de energia renovável que contam com matéria-prima natural em suas composições: cana-de-açúcar, mamona, soja, milho, mandioca, canola e babaçu, entre outros exemplos. Todas essas espécies são cultivadas por agricultores que fazem a diferença na vida dos brasileiros.

4. Fornecem matéria-prima têxtil

Além de alimentar e transportar a população, a agricultura também contribui para vesti-la, a partir do plantio e colheita do algodão. Em 2013, de acordo com a Associação Brasileira da Indústria Têxtil (Abit), a indústria têxtil consumiu 1,458 milhão de fibras totais e, destas, o share do algodão foi de 60%. Em 2015, esse índice fechou em 54,6% – ainda sinalizando o protagonismo do material na fabricação de tecidos.

Foto: Pixabay
5. Geram novos postos em todo o Brasil

Por ser uma atividade presente nos quatro cantos do país, a mão de obra empregada pela agricultura mostra-se decisiva para o grande share do setor no PIB nacional. Só em 2017, segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados, 5 em cada 10 ocupações profissionais com os melhores saldos de emprego no Brasil são do setor agropecuário. De acordo com o Centro de Estudos de Economia Agrícola da Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (Piracicaba/SP), estima-se que 19 milhões de pessoas estejam empregadas pelo setor em todo o país.

6. Abrangem a produção de papel

A agrofloresta é o setor da agricultura que produz celulose, matéria-prima para todos os papéis consumidos. Este segmento fundamental é um grande gerador de renda e está contribuindo com a retomada da economia brasileira: apenas no primeiro trimestre de 2018, a produção de celulose cresceu 13%, contabilizando 5,3 milhões de toneladas, enquanto as exportações do produto aumentaram 51,5%.

7. Promovem sustentabilidade ecológica e social

Além de sustentar a economia e gerar empregos, bem como produzir diversos insumos necessários, o agricultor assume, juntamente com o seu negócio, o compromisso de promover a sustentabilidade social e ecológica. A preocupação com a água, o solo, a fauna e a flora locais pauta o seu trabalho, e o desenvolvimento econômico sustentável também transforma as comunidades em que as empresas do agronegócio estão inseridas.

8. Cultivam também em pequenas propriedades

Muito valorizada pela Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) e pelo Ministério da Agricultura, a agricultura familiar representa 84% dos estabelecimentos rurais brasileiros, responsáveis pela produção de 70% dos alimentos do país. Portanto, ainda que sejam pequenas produções, este tipo de negócio tem um grande impacto na economia.

9. Fomentam o avanço tecnológico

A necessidade de produzir mais e melhor para nutrir a população fomenta o desenvolvimento tecnológico voltado à agricultura. O empreendedor do setor está sempre em busca de novas maneiras de aumentar a performance das lavouras, produzir grãos de qualidade e promover a agricultura sustentável. Dessa forma, o agricultor é responsável pela transformação e atualização constante do plantio no país.

Esses são alguns motivos pelos quais nós nos orgulhamos de participar das atividades do agronegócio. Fica por aqui a nossa homenagem aos profissionais que se propõem todos os dias a plantar, cultivar e colher os insumos necessários para manter o Brasil funcionando. Parabéns, agricultores!